Powered by Rock Convert

A maioria não admite, mas existem muitos advogados que ficam nervosos quando precisam encarar uma audiência. O motivo desse nervosismo geralmente é bem simples: pura insegurança!

Você deve estar se perguntando: por que um advogado se sentiria inseguro ao pensar em como se comportar em uma audiência? Talvez, por exemplo, ele não saiba conduzir um embate com o colega na tentativa de convencer o juiz ou algo semelhante.

Indo direto ao ponto: você conhece o processo e já se inteirou sobre tudo que diz respeito ao objeto da causa, então precisa apenas de algumas dicas, verdade? Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

Importância dos cuidados com o modo de se apresentar em uma audiência

Sem dúvidas, a audiência é uma das etapas mais importantes de qualquer processo. Trata-se da hora certa para demonstrar a realidade e auxiliar na formação da convicção do juiz. Para passar por esse momento com o rendimento esperado e atingir o resultado esperado, é preciso se apresentar na audiência da forma adequada.

Prestando atenção em itens simples e adotando as melhores estratégias, crescem as chances de você exercer bem o seu papel. Além de tudo, um advogado competente ganha credibilidade, conhece o ambiente, conquista respeito e atrai novos clientes. Portanto, estar preparado é elemento imprescindível para realizar um trabalho de sucesso.

7 dicas sobre como se comportar em uma audiência

A forma como um profissional se porta durante um evento da importância de uma audiência pode afetar o desfecho do caso. Afinal de contas, o comportamento do advogado impacta diretamente em sua credibilidade.

A seguir, listamos sete dicas para lhe ensinar (ou relembrar) como se comportar em uma audiência, para que você se sinta seguro e tranquilo. Acompanhe!

1. Preparo

O primeiro passo é rever todo o processo, a legislação aplicável, a jurisprudência a respeito, focando nos pontos controversos. Pontos controversos são aquelas circunstâncias não acatadas pela outra parte, aquilo sobre o qual não há consenso.

Um bom advogado é proativo, ou seja, ele tenta prever quais podem ser os contra-argumentos do colega e se prepara para derrubá-los. Trocar ideias com colegas ou grupos de discussão também ajuda muito a antever algumas questões.

Apesar disso, lembre-se de que a ética determina tratar de casos com terceiros apenas hipoteticamente (sem mencionar nomes e detalhes que permitam identificar as partes e a causa).

2. Pontualidade

Ser pontual permite mais condições para se preparar para a primeira audiência. Respirar fundo, ter um último diálogo com o cliente, pensar e fazer breves anotações de tudo que realmente precisa ser falado é bastante importante.

Além disso, a pontualidade demonstra compromisso com o trabalho e evita atrasos, anulando também os riscos de o cliente sofrer danos irreversíveis por ausência do advogado.

3. Posição na sala de audiência

É primordial se atentar ao lugar correto na sala de audiência. Para aquelas de conciliação ou de instrução e julgamento, o advogado do autor deve se sentar à direita do juiz. Contudo, nas audiências trabalhistas, a posição é inversa.

Caso tenha alguma dúvida a respeito da localização no ambiente, não se preocupe: basta esperar o advogado da parte contrária ocupar seu lugar, sentando-se no outro lado da mesa.

4. Tranquilidade

Por mais experiente que seja, realizar uma audiência não é tão simples para um advogado. A ansiedade costuma ser inevitável nessa hora, já que existe um conflito de interesses em que duas pessoas buscam mostrar estarem certas sobre determinado assunto.

Esse clima pode atrapalhar o rendimento do advogado, fazendo com que o nervosismo prejudique o cliente por tabela.

Uma das maneiras de minimizar essa situação é quebrando a tensão. Antes do início da audiência, vale a pena conversar um pouco com o advogado da parte contrária. Ele também é um profissional que está ali para defender os eventuais direitos de seu cliente. Jamais o veja como um inimigo!

Quando iniciar a conversa, evite qualquer assunto sobre a demanda: fale a respeito de algum tema rotineiro, que tenda a ser de interesse mútuo. Quebrar o gelo sempre funciona e ajuda a deixar o clima mais leve durante a audiência.

5. Postura

Durante a audiência, mantenha a educação, o palavreado adequado e uma atitude sempre tranquila, buscando, quando possível, a conciliação e a mediação. Normalmente, o cliente fica nervoso na frente do juiz ou quando confrontado com a outra parte, por isso, não colabore para que ele se enerve ainda mais.

Procure passar segurança e tranquilidade, pois isso transmite credibilidade tanto para seu cliente quanto para o magistrado. Usar adequadamente os pronomes de tratamentos para cada um dos presentes transmite respeito e também demonstra segurança: meritíssimo e excelência para juízes e desembargadores, doutor e senhor para promotores e advogados e senhor para as partes e testemunhas.

Marque previamente os pontos importantes na sua cópia do processo e na legislação, para consulta, e leve suas anotações e perguntas prontas em caso de oitiva de testemunhas ou depoimento pessoal.

6. Vestimenta

Talvez você se lembre de um caso de grande repercussão, que viralizou na internet, quando um desembargador foi filmado chamando rigidamente a atenção de uma advogada sobre a roupa que ela usava.

O homem julgou desrespeitosa a sustentação oral da profissional, que vestia uma peça de alças finas, estilo camiseta. Nada curto ou decotado, apenas alças em vez de mangas. Parece exagerado, mas não vamos entrar no mérito da questão.

É importante que você lembre que na audiência, quando está em jogo o interesse de seu cliente, não é hora de querer se impor e mudar as regras do exercício da profissão. Vista-se de acordo com o exigido (consulte as regras internas dos tribunais sobre o assunto) e encontre outra forma de protestar a respeito.

7.  Ética

Em algumas audiências, podem se desenrolar bate-bocas entre os advogados e, em casos mais extremos, até mesmo envolvendo o juiz. Mesmo que qualquer uma das partes esteja se comportando de modo inadequado, esse tipo de atitude deve ser evitada.

O próprio Direito define recursos legais para punir atos incompatíveis pelo defendido pela profissão, seja por parte dos advogados ou do magistrado. Caso o desrespeito aconteça, basta solicitar que tudo conste em ata e, depois, tomar as medidas cabíveis.

É possível comunicar, no início da audiência, que o conteúdo será gravado. Trata-se de uma prerrogativa legal, fundamentada pelo Código de Processo Civil. O importante é fazer o que puder para manter o equilíbrio e a estabilidade emocional, passando segurança e confiança para o cliente ao longo da audiência.

Seguindo essas dicas, você saberá como se comportar em uma audiência, evitando situações de constrangimento e contratempos. Não esqueça que sua postura deve sempre ser condizente com a nobreza da profissão e que decoro e honradez são bem-vindos em todo ambiente!

Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe nas redes socais agora mesmo e ajude seus colegas a terem sucesso nas audiências!

Leia Também

Deixe seu comentário