Escritórios de advocacia são como qualquer outra empresa e, por isso, precisam levar em conta a gestão administrativa e estratégias de crescimento. No mundo empresarial, é fundamental estar sempre de olho nas melhores práticas do mercado para criar possibilidades de expandir o seu negócio.

Na prática, isso significa que os advogados que são sócios de escritórios não devem estudar apenas sobre Direito. É preciso aprender também sobre os outros aspectos envolvidos na gestão da empresa, desde o marketing até a fidelização de clientes.

Falando em estudo, uma forma bastante comum em qualquer segmento é buscar referências nas maiores empresas do setor. E, pensando nisso, trouxemos 5 lições de grandes escritórios de advocacia que você pode usar como inspiração.

Esses ensinamentos são capazes de levar a empresa para os próximos níveis, tanto em receita e lucratividade como em reconhecimento. Ficou curioso para conferir as lições? Então continue acompanhando!

1. Networking

O networking nada mais é do que uma rede de contatos profissionais. Sabemos que a vida de qualquer ser humano é feita de relacionamentos e na advocacia não poderia ser diferente. Porém, no ramo do Direito as relações têm um peso ainda maior, já que ninguém vai longe sem contatos.

Infelizmente, diversos advogados ainda acreditam que o networking se constrói naturalmente com o passar do tempo. Já outros dependem da sua rede de contatos pessoais — como familiares e amigos — para conseguir clientes e parcerias. No entanto, no longo prazo isso pode ser bastante perigoso, já que a sua cota de “favores” com conhecidos se esgota.

O que os grandes escritórios fazem é trabalhar o networking como uma tarefa rotineira. Ou seja, a área de relacionamentos profissionais se tornou mais um departamento da empresa, assim como o financeiro, o contábil ou os recursos humanos. Dessa forma, o escritório passa a ter uma série de atividades e eventos pré-agendados com o objetivo claro de estabelecer parcerias futuras.

2. Especialização

Na ânsia de expandir o negócio e atrair mais clientes, muitas firmas optam por expandir sua atuação para outras áreas do Direito, englobando mais ramos de atuação. O primeiro problema disso é que nem sempre os advogados são totalmente especializados na área.

Outra questão é que muitas vezes o foco é perdido na hora de divulgar seu trabalho. A empresa deixa de ser vista como alguém que é muito boa em solucionar um problema específico e passa a ser enxergada como um escritório que faz um pouco de tudo, mas não é especialista em nada.

Para evitar esses problemas, o caminho adotado pelos grandes escritórios de advocacia é se especializar cada vez mais. Isso não significa que você deve pegar apenas um tipo de trabalho, mas pode optar por atender áreas complementares, como Direito Trabalhista e Direito Previdenciário. O importante é ter um foco claro, capaz de diferenciar sua firma das concorrentes.

3. Marketing diferenciado

Ao contrário da maioria dos setores profissionais, no Direito há regras que impedem o advogado de fazer publicidade. Entretanto, isso não significa que não seja possível fazer nenhum tipo de marketing.

Atualmente, uma das formas de chamar a atenção dos consumidores é o marketing de conteúdo. Nesse tipo de comunicação, cria-se artigos e vídeos com informações que sejam relevantes para o seu público, esclarecendo dúvidas e mostrando que você entende do assunto. Assim, as pessoas gradualmente passam a enxergá-lo como uma autoridade na área.

Essa é uma das formas pelas quais os grandes escritórios de advocacia divulgam seus serviços. Em uma sociedade na qual as marcas fazem de tudo para chamar a atenção dos consumidores, quem cria conteúdo de qualidade acaba se diferenciando e se destacando naturalmente.

4. Tecnologia

Hoje em dia, todas as grandes empresas utilizam sistemas de gestão, e os grandes escritórios de advocacia mostram que o avanço tecnológico no mercado jurídico também já é uma realidade. Esses sistemas são programas de computador que facilitam a administração do negócio, integrando todas as áreas em uma só plataforma. Com isso, o gestor pode controlar desde o relacionamento com clientes até a agenda dos advogados — tudo em um só lugar.

Com as informações integradas e disponibilizadas em um único sistema, fica muito mais simples cuidar da produtividade da firma. A consequência é a otimização do tempo e das tarefas, ganhando agilidade e gerando mais rentabilidade. Somado a isso, o sistema fornece relatórios que permitem análises precisas, facilitando as tomadas de decisões estratégicas.

Para escritórios menores, pode até parecer que não é necessário contar com um software desse tipo. No entanto, sempre vale a pena fazer um estudo de viabilidade, pois é um investimento que pode trazer grandes retornos no futuro. Não há dúvidas de que uma solução de gestão para advocacia tem a capacidade de preparar o escritório para o crescimento.

5. Terceirização

Muitos gestores de negócios têm receio de pensar em terceirização, pois temem que a qualidade dos serviços possa ser afetada ou, ainda, que os custos possam subir. No entanto, poucos realmente colocam tudo no papel para verificar a real possibilidade de terceirizar.

É de praxe nas empresas delegar tarefas como a limpeza e a segurança — e isso é algo que você também pode considerar. No entanto, os grandes escritórios de advocacia vão além. Atualmente, é comum contar com correspondentes jurídicos na equipe. Esses profissionais estão aptos a realizar diligências em inúmeras comarcas, evitando que a sua equipe precise se deslocar a outras cidades e estados.

No fim das contas, isso gera uma série de economias com viagens, sem falar em tempo e energia. Em vez de deslocar-se a uma outra cidade, por exemplo, o advogado pode permanecer no escritório desenvolvendo suas atividades.

Exemplos de grandes escritórios de advocacia

Há diversos casos de escritórios de advocacia que aplicaram as lições acima, inovaram e conseguiram impulsionar o seu crescimento. O escritório Koetz Advocacia, por exemplo, ampliou sua cartela de clientes por meio do marketing de conteúdo jurídico.

Já Ivan Morais Ribeiro, um jovem advogado que já faz muito sucesso, construiu sua reputação a partir da especialização. Ivan criou seu próprio nicho de mercado, o que ele chama de “advocacia de estratégia”. Segundo Ribeiro, a expansão de seu escritório foi fruto de muito estudo, aproveitando até mesmo estratégias de empresas do Vale do Silício (EUA).

O escritório de advocacia Romagnani, por sua vez, apostou na tecnologia. Roberto Romagnani, dono da firma, decidiu investir em um software jurídico. Dessa forma conseguiu organizar sua agenda, além de tornar todos os processos virtuais, sem pastas físicas. Para buscar ainda mais inspiração e exemplos de estratégias dos grandes escritórios de advocacia, você pode ler sobre os 15 advogados mais poderosos do Brasil.

Por fim, fica claro que no longo prazo há uma grande diferença entre os escritórios de advocacia que focam apenas no serviço em si e aqueles que buscam estratégias para crescer em todas as áreas. Em um mercado tão competitivo, é crucial que as empresas menores se inspirem e encontrem referências nos líderes do setor, utilizando suas táticas para conquistar cada vez mais espaço em seu segmento.

E então, gostou deste conteúdo? Tem alguma lição extra que você aprendeu com os grandes escritórios de advocacia? Compartilhe conosco nos comentários!

Leia Também

Deixe seu comentário