Cumprir os prazos processuais, atender os clientes e manter-se atualizado sobre as mudanças legislativas e jurisprudenciais são atividades que podem ocupar a rotina do advogado e dificultar a administração do negócio. No entanto, por mais que o tempo seja curto, algumas medidas de gestão financeira devem ser tomadas para que os rendimentos do trabalho sejam mais bem aproveitados e para que o escritório seja lucrativo. Nesse cenário, saber como realizar um planejamento financeiro é fundamental.

Esse documento é importante para garantir que as finanças do escritório se mantenham em dia. Isso porque o planejamento mapeia a realidade financeira do negócio e permite, assim, projetar as metas que visam garantir o seu crescimento.

Nesse sentido, ainda que ao abrir o escritório o advogado não dê atenção a esses aspectos gerenciais, para que o negócio se estabeleça no mercado e prospere financeiramente é fundamental se organizar e planejar, ou seja, entender que o escritório é uma verdadeira empresa e deve ser gerenciado como tal.

Então, continue lendo o post para aprender como realizar o planejamento financeiro do seu escritório de advocacia.

Como realizar um planejamento financeiro?

O ideal é que o planejamento financeiro seja feito anualmente, a fim de revisar receitas e despesas e se adaptar à progressão do escritório. Nesse processo, você poderá seguir alguns passos para que o resultado esteja alinhado às necessidades e realidade do seu escritório de advocacia.

Faça uma previsão de orçamento

Recomenda-se que a previsão de orçamento para o próximo ano seja feita até três meses antes do fim do ano em vigor, na medida em que esse tempo será importante para revisar as finanças e checar o crescimento da empresa.

Antes de fazer a previsão orçamentária para o próximo ano, será preciso analisar o fluxo de caixa e verificar os custos fixos e variáveis, possíveis despesas que podem ser cortadas — ou, pelo menos, reduzidas — e se as metas do planejamento anterior foram cumpridas, caso já exista um.

A par das movimentações financeiras, dos valores recebidos e das despesas arcadas pelo escritório, será possível fazer uma previsão orçamentária para o próximo ano, na qual devem constar as receitas e as despesas projetadas. Para fazer uma projeção realista, é importante considerar os fatores externos, as tendências do mercado e eventuais crises financeiras.

Defina objetivos e metas

Projetado o orçamento, é hora de traçar as metas a serem alcançadas no próximo ano. Essas metas vão variar de acordo com a situação atual do escritório, tanto organizacional quanto financeira.

Assim, é possível estabelecer metas da seguinte maneira:

  • metas de curto prazo: por exemplo, redução do custo fixo em 15%, pagamento das contas em dia e acompanhamento do fluxo de caixa;
  • metas de médio prazo: quitação e não contratação de novos empréstimos e redução de custos variáveis;
  • metas de longo prazo: por exemplo, aumento do número de clientes em 40% e aumento do faturamento em 25%.

Enfim, as metas devem ser traçadas partindo-se da situação atual do escritório e considerando-se os empecilhos, os pontos fortes e o que pode ser melhorado no próximo ano. De todo modo, esses objetivos devem ser mensuráveis e atingíveis, para que a equipe acredite que eles são possíveis e trabalhe para conquistá-los.

Organize as ações

Após traçar as metas, será o momento de fazer o cronograma de ações para alcançá-las. Por isso, se você não trabalha sozinho, é fundamental que os sócios e os advogados associados sejam envolvidos nesse processo, pois cada um deve assumir uma responsabilidade para realizar o planejamento. No entanto, se você é o único responsável pelo seu escritório, deverá se empenhar e não perder o planejamento de vista.

Para o alcance de cada meta traçada, é fundamental definir as ações a serem observadas e seus responsáveis. Nesse contexto, se a meta é redução de gastos, será preciso analisar o que pode ser feito, como revisão dos contratos de internet e telefone, redução do gasto com impressões, uso de transporte por aplicativo e outras medidas.

A meta de conquistar mais clientes pode ser distribuída entre os sócios, associados e até mesmo entre os estagiários, por meio de algum tipo de retribuição, como participação em honorários ou pagamento de bônus. O importante é que todas as pessoas do escritório trabalhem para isso. Assim, essa é também uma forma de avaliar o comprometimento dos colaboradores com o escritório.

Utilize um software de gestão

Usar um software jurídico para a gestão dos trabalhos e gestão financeira do escritório pode ser a alternativa com o melhor custo-benefício, já que reúne ferramentas com diversas funcionalidades em um único sistema. Além de auxiliar na gestão dos clientes, acompanhamento dos processos e organização das tarefas, essa solução tecnológica pode fazer a gestão financeira e, assim, oferecer dados importantes para a elaboração e execução do planejamento.

Para que o planejamento seja bem-sucedido, é crucial que o fluxo de caixa esteja fielmente montado. A partir dessa análise, será possível visualizar, por exemplo, quais despesas estão além do esperado, quais clientes estão em dia com os pagamentos e quais precisam ser cobrados. Ter os dados financeiros já relatados no software, portanto, viabiliza a elaboração e a execução do plano.

Mensure resultados

Um erro cometido por alguns empreendedores é fazer o planejamento e não acompanhar a sua execução e não mensurar os resultados alcançados. Nesse caso, pode-se dizer que não fará nenhuma diferença ter planejado. É importante ter em mente que o planejamento faz parte de um ciclo que envolve um plano, a execução e a análise dos resultados, justamente para avaliar se o que foi projetado foi alcançado.

Assim, se a meta não foi atingida, é necessário avaliar qual foi o motivo desse resultado e o que poderá ser feito para melhorá-lo. Por outro lado, se a meta foi alcançada, será o momento de avaliar quais são as próximas a serem traçadas para dar continuidade ao ciclo de melhora constante.

O advogado, como todo empreendedor, precisa estar atento às finanças e às possibilidades de crescimento. Isso é feito, em grande medida, com um bom planejamento financeiro.

Dessa forma, agora que você já sabe como realizar um planejamento financeiro, não deixe de colocá-lo em prática no seu escritório.

Gostou deste post? Então, aproveite para aprofundar seus conhecimentos no assunto e aprender 7 dicas para a gestão administrativa do escritório de advocacia.

Leia Também

Deixe seu comentário