Diário Oficial da União
Powered by Rock Convert

Saiba o que é o Cadastro Nacional de Obras (CNO), quais suas aplicações e suas regras. Confira também como publicar no Diário Oficial da União (DOU).

Foi publicado no Diário Oficial da União, em novembro de 2018, a Instrução Normativa RFB nº 1.845 de 2018, que normatiza o Cadastro Nacional de Obras em detrimento do Cadastro Específico de INSS (CEI), reconhecido popularmente como Matrícula CEI de Obras.

Saiba mais: Receita Federal – O que é a DIRPF?

Confira todas as informações:

Cadastro Nacional de Obras: o que é e o que implica

O CNO tem como principal função inscrever obras de construção civil de pessoas jurídicas e também físicas incluídas no recolhimento de contribuições previdenciárias, já previstas pela Lei nº 8.212, de 1991.

A obrigação de identificar exclusivamente as obras de construção civil no Brasil é incontestável.

Até o final de 2018, o registro CEI de obras executava essa função priorizando a titularidade da obra. Cada responsabilidade exigia abertura de um novo registro.

Com a consolidação do CNO, criou-se o que pode se chamar de verdadeiro cadastro de obras. A inscrição no Cadastro deve ocorrer logo no início da obra e será válida até o fim dela.

Nos casos em que for modificada a responsabilidade da obra, o novo responsável precisará realizar a transferência de responsabilidade, independentemente da jurisdição.

As novidades trazidas pelo CNO têm como principal intuito otimizar a maneira como as informações serão prestadas pelo responsável e também preservar a segurança dos dados cadastrais, possibilitando uma melhor gestão sobre a organização e controle das obras.

Saiba mais: O que é DCTF utilizada pela Receita Federal?

Vantagens e regras do CNO

Tendo em vista os objetivos do Cadastro, é possível prever diversos aperfeiçoamentos e vantagens para o cidadão, como, por exemplo:

– O CNO não é o cadastro do responsável, e, sim, da obra. Nesse sentido, ela permanece sempre identificada, independentemente do nome do responsável atrelado a ela;

– O cidadão poderá efetuar o cadastro da obra ou realizar modificações na inscrição diretamente de sua casa ou estabelecimento;

– As novas diretrizes dispensam a presença física do cidadão à unidade da Receita Federal. Em vista disso, no ato da inscrição da obra, não há mais a necessidade de comparecimento a uma unidade de atendimento da Receita, seja para obra cujo tipo de responsabilidade é consórcio, ou ainda uma construção em nome coletivo, por exemplo;

– O Cadastro foi projetado para ser integrado ao Serviço Eletrônico de Regularização de Obra – o SERO, sistema criado para ficar responsável pela regularização da obra, otimizando os cálculos dos tributos devidos;

– O CNO possibilita o pré-cadastramento de dados com informações do Alvará. Ou seja, o cidadão não precisa preencher esses dados de forma manual.

Acompanhe todas as mudanças do CNO no Diário Oficial da União por meio do Diário Oficial-e

No portal do Diário Oficial-e, os responsáveis por obras civis podem acessar o Diário Oficial da União e acompanhar tudo o que muda com a implementação do CNO, e todas as novidades que o Cadastro instituirá na prática.

A agência de publicidade legal também possibilita a realização de publicações no Diário Oficial da União, dos Estados e dos Municípios.

Navegue pelo site para obter maiores informações.

Veja mais: Diferença entre cupom fiscal e nota fiscal | Correspondência jurídica | Quanto ganha um correspondente jurídico

Leia Também

Deixe seu comentário