O termo Direito 4.0 correlaciona-se diretamente com a expressão Indústria 4.0, que retrata o momento tecnológico voltado para soluções como a internet das coisas (IoT), impressões em 3D, uso da computação quântica, inteligência artificial, sistemas de armazenamento na nuvem, entre outros.

Enquanto a indústria 1.0 representava o impacto da máquina a vapor na vida e na sociedade de uma determinada época, a Indústria 2.0 se destacou pelo uso do aço, da energia elétrica e dos combustíveis derivados do petróleo. Já a Indústria 3.0 se caracterizou pela informatização e pelo uso da eletrônica.

Nesse sentido, o Direito 4.0 representa as mudanças operadas pela Indústria 4.0, também chamada de quarta revolução industrial, dentro do contexto e das realidades vivenciadas no universo jurídico.

Neste artigo, você vai entender os conceitos, as vantagens e desvantagens e de que forma o profissional precisar se adaptar para usufruir ao máximo dessa nova forma de praticar e aplicar a legislação na sua rotina de defesa dos interesses dos seus clientes. Confira!

O que é Direito 4.0?

As inovações tecnológicas que surgiram nos últimos anos impactaram diversos setores das nossas vidas. Nesse sentido, mudamos a forma como nos comunicamos, como trabalhamos, como nos locomovemos e também como consumimos produtos e serviços.

Entre as grandes mudanças ocasionadas pela nova era de evolução está a internet das coisas, o armazenamento em nuvem, a inteligência artificial e a computação quântica. Todas elas trouxeram inovações que estão impactando fortemente na forma como os advogados exercem as suas atividades profissionais.

É importante destacar que essas transformações não significam que os profissionais serão substituídos por máquinas ou por softwares avançados. Pelo contrário, a sua função enquanto instrumentos de aplicação do Direito passará a ser menos mecânica e mais estratégica.

Ou seja, vai ser reduzido o tempo dedicado às atividades automatizadas, ampliando-se o tempo dedicado para as atividades que exigem mais do seu raciocínio.

O que se prevê é que os profissionais tenham cada dia mais condições e ferramentas que podem ser utilizadas em prol da advocacia, trazendo maior agilidade e precisão em algumas tarefas. Isso vai permitir que o profissional se dedique à ações voltadas para o planejamento e essenciais para o bom desempenho das suas atividades.

Quais são as principais mudanças e como acompanhá-las?

Você deve estar pensando: mas afinal, que mudanças são essas e como eu posso acompanhá-las?

Há uma infinidade de inovações trazidas pela quarta revolução industrial no âmbito jurídico. Como exemplo, podemos citar a elaboração de relatórios em vídeo, o uso de QR Code em petições, a realização de atendimentos, a utilização de aplicativos de mensagens instantâneas para envio de informações sobre processos para clientes, a integração de softwares, entre outras.

Todas podem ser inseridas na perspectiva jurídica, trazendo benefícios para a rotina dos profissionais que atuam nessa área. Mas a grande dúvida por parte dos advogados está em como acompanhar tais mudanças, se mantendo a par das inovações no mercado?

A melhor forma de aplicar a tecnologia a favor do seu negócio é fazer com que ela seja usada como mecanismo de conhecimento. Hoje, o advogado pode acessar inúmeros conteúdos em forma de vídeo, texto, cursos online e e-books com informações atuais sobre o Direito 4.0.

Outra forma de se manter por dentro é comparecendo em eventos, palestras e congressos que abordam o assunto. Além de ser uma ótima oportunidade de ficar por dentro do que o mercado oferece, também é uma excelente maneira de trocar informações com outros profissionais da área.

Por fim, você não pode se esquecer de acompanhar a Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L). A instituição reúne empresas de tecnologia voltadas para o meio jurídico. No site da AB2L você pode encontrar diversos artigos de inovação voltados para o Direito 4.0. É uma excelente fonte de conhecimento sobre o mercado que vai agregar informações relevantes e que podem se transformar em soluções para a melhora no desempenho do seu negócio.

Quais os impactos positivos destas mudanças?

O Direito 4.0 traz inúmeros impactos positivos para o mercado jurídico, não só no que diz respeito aos profissionais da área, como também para os clientes, tribunais e para a sociedade de forma geral.

Sem dúvida, o principal impacto positivo está na celeridade dos processos. A automação e a redução da burocracia são fatores que agregam muito mais eficiência e agilidade para os procedimentos jurídicos, o que, sem dúvidas, sempre foi um problema para o setor. O processo eletrônico e o certificado digital são exemplos práticos de como o Direito 4.0 está impactando na rotina do setor.

Outra repercussão positiva é a redução de erros, já que sistemas automáticos e soluções voltadas para inteligência artificial reduzem significativamente a ocorrência de erros.

Por exemplo: a contagem de prazos é uma questão relevante e que faz parte da rotina dos profissionais. Ao utilizar o processo eletrônico, o advogado tem muito menos chances de perder os prazos, uma vez que o sistema irá avisá-lo quanto ao término do mesmo. Ao realizar a contagem de forma automática as chances de erro humano são muito menores.

Quais os impactos negativos?

O grande problema relacionado ao Direito 4.0 está vinculado ao mercado, já que alguns estudos apontam que as novas tecnologias poderão suprimir muitos postos de trabalho. Todavia, de forma geral, acredita-se que tanto o mercado quanto os profissionais vão se adaptar a essas mudanças.

Além disso, é importante que o advogado fique atento à supervalorização da tecnologia. Mesmo ela sendo muito importante, não deve ser vista como uma substituta da inteligência humana. As ações estratégicas e o direcionamento das atividades sempre serão baseadas nas decisões e na expertise do profissional.

Como é o perfil de um advogado 4.0?

O perfil de um advogado 4.0 está relacionado com a sua habilidade e interesse no domínio da tecnologia. De forma geral, ele já utiliza meios digitais para se comunicar com os seus clientes, para o gerenciamento do escritório, para a realização de reuniões e para a utilização de outras soluções que já estão disponíveis em larga escala.

Além disso, este profissional se relaciona bem com a internet e tem habilidade na captação de clientes por esse meio. Para isso já tem um site, tem um blog e publica conteúdos direcionados para o interesse do seu público. Ainda, esse profissional utiliza as redes sociais para fortalecer a sua presença online.

Por fim, o advogado 4.0 busca constante atualização, estando sempre a par do que acontece no mercado em termos de tecnologia para o universo jurídico, internet das coisas, direito digital, contratos inteligentes, entre outros. É um profissional que está sempre em busca de conhecimento que possa contribuir para a modernização da sua carreira.

Se você é advogado e quer fazer parte da nova revolução industrial, é importante ter em mente que é necessário reinventar-se sempre, oferecendo para os seus clientes um serviço jurídico de alta qualidade e aliado às mudanças e anseios da sociedade.

Para isso, é necessário rever velhas práticas e estar em constante processo de aperfeiçoamento, não só no que diz respeito às leis, mas também no que concerne às soluções e inovações que a tecnologia nos oferece.

Gostou deste artigo sobre direito 4.0? Então, amplie o domínio sobre o assunto e confira este post especial com dicas sobre as áreas mais bem pagas do Direito.

Saiba como publicar no: DOESP.

Leia Também

Deixe seu comentário