As finanças do seu escritório não vão bem e você anda preocupado? Você tem razão em sentir-se assim. Afinal, a manutenção da saúde financeira do escritório de advocacia é determinante para o seu sucesso. Quando o financeiro vai mal, tudo trava, fica estagnado e corre o risco de sucumbir.

Por falta de tempo ou mesmo falta de compreensão do tema, advogados dificilmente conseguem se dedicar à gestão financeira e isso é um entrave na carreira. A boa notícia é que podemos ajudar você a reverter esta situação. Preparamos 7 dicas que farão com que você ultrapasse a crise e, quem sabe, consiga até expandir o seu negócio.

Confira e veja como isso é possível! Boa leitura!

1. Planejamento

Planejamento é importante em qualquer aspecto de nossas vidas e para o desenvolvimento de nosso empreendimento não é diferente — ele é essencial! Somente por meio dele é possível mudar as perspectivas do escritório, aumentando as chances de crescer e aprendendo a vencer eventuais crises.

Um bom planejamento estratégico envolve o planejamento financeiro, com a definição de metas que garantam a estabilidade do negócio e que demonstrem o momento certo para ampliar as atividades. Para tanto, é preciso considerar cada detalhe, como o mapeamento de receitas e despesas, o histórico do mercado e do próprio escritório.

2. Controle de receitas e despesas

Quando não se tem controle do dinheiro que entra e sai, o resultado é sempre prejudicial. Como desenvolver um bom planejamento e cuidar da saúde financeira do escritório de advocacia sem controle da receita e da despesa? Impossível!

Por isso, é importante sempre saber quanto você tem na conta, quanto normalmente você gasta e, a partir daí, ver em que podem haver cortes e em que vale a pena investir. Só assim você conseguirá descobrir em que os esforços devem ser direcionados de modo a equilibrar as contas até que elas se tornem superavitárias.

3. Manutenção de fundo de caixa

Fundo de caixa é a famosa “caixinha”: trata-se de um valor reservado para as pequenas despesas cotidianas do escritório ou para alguns pequenos imprevistos. A ideia é evitar movimentações financeiras sem necessidade e favorecer o gerenciamento do negócio.

O valor poderá variar conforme o tamanho do estabelecimento e deve levar em conta o histórico de gastos. Cuide para que essa reserva não seja destinada a outros fins, fazendo com que você perca novamente o controle das despesas.

4. Remuneração por pró-labore

É muito comum que os sócios de um empreendimento façam retiradas financeiras sempre que precisem de dinheiro. O dinheiro está ali, ele está precisando, o negócio é dele, então não tem problema, certo? Errado!

Retiradas constantes e não planejadas desequilibram as contas do escritório e sabotam qualquer controle financeiro. Por tal motivo, a definição de um valor mensal de pró-labore para cada sócio é o mais indicado para não prejudicar o planejamento.

Não se esqueça de que esse valor deve levar em conta a realidade do escritório e as necessidades pessoais do sócio — estas não podem passar por cima da condição financeira do negócio. Isso ajudará na retomada da saúde financeira do escritório de advocacia.

5. Envolvimento da equipe

Você compreendeu e conseguiu aplicar tudo o que precisa para recuperar as finanças do escritório, mas as coisas ainda não vão bem: a redução de gastos não está se confirmando na prática e o controle não está sendo efetivo.

Talvez você tenha esquecido de envolver sua equipe no planejamento. Sócios, associados e pessoal administrativo devem agir em conjunto, pois não adianta um setor conter as despesas enquanto outro continua sem limites.

Todos os colaboradores devem estar envolvidos no processo de controle de custos. Uma boa forma de conseguir isso é oferecendo incentivos para garantir o comprometimento de todos com as metas.

Outra boa ideia é incentivar iniciativas que impliquem em economia para o escritório. Tudo que puder gerar redução de custos sem comprometer a qualidade dos serviços prestados deve ser implementado.

6. Separação das contas pessoais das contas do escritório

Você já viu a importância de definir um pró-labore mensal, mas de que adiantará fazer isso se a tentação continuará ao seu alcance? Se você quiser ganhar fôlego na saúde financeira do escritório de advocacia, é essencial separar as contas pessoais do sócio das contas do negócio

Definir o pró-labore e continuar misturando as contas atrapalhará o controle que você a duras penas está tentando instituir. Se tiver dificuldades com isso ou com outros passos nesse processo, peça a ajuda de um contador ou consultor financeiro.

A contratação de um profissional especializado sempre traz resultados positivos e agrega confiabilidade às ações que devem ser implementadas.

7. Adoção de um software de gestão

Por fim, nada do que dissemos terá um resultado tão bom quanto o esperado caso você resista em adotar uma gestão tecnológica. É dificílimo lidar, atualmente, com tantas responsabilidades e atividades sem a ajuda de um software especializado.

Um software de gestão ajudará na organização na administração do negócio e proporcionará economia com papel, procedimentos, guarda de documentos e, inclusive, com pessoal.

Além disso, não adianta ter à disposição vários dados e criar várias metas se não consegue alinhá-los. A tecnologia é fundamental nesse processo. No mercado existem inúmeras opções que podem ser personalizadas de acordo com o perfil do empreendimento.

Como vimos, o envolvimento da equipe com o planejamento financeiro e com o controle das despesas e receitas, a substituição das retiradas dos sócios por pró-labores de valor fixo, a manutenção de um fundo de caixa e o investimento em tecnologia são importantes aliados na recuperação da saúde financeira do escritório de advocacia.

Essas foram as nossas 7 dicas para tirar seu escritório da crise e recuperar o fôlego para voltar a crescer. São estratégias simples e comprovadamente eficazes de recuperar as finanças de um estabelecimento. Tome nota e coloque essas dicas em prática em breve!

O que você achou deste artigo e dessas dicas? Caso tenha gostado e entendido a importância dessas atitudes para o sucesso do seu negócio, assine a nossa newsletter e aprenda um pouco mais sobre gestão de empreendimentos jurídicos!

Leia Também

Deixe seu comentário