O momento é de crise. O brasileiro fechou 2016 com grandes expectativas para o próximo ano, esperando crescimento e melhores oportunidades para a melhora da economia do país, que fora muito abalada durante o ano que passou.

Porém, será que suas expectativas serão satisfeitas? O panorama é de que o Brasil volte a crescer neste ano? 

Neste post, apresentamos as perspectivas econômicas para 2017 para que você prepare suas ações e saiba o que esperar. Acompanhe!

A atual situação do Brasil

O pessimismo dominou grande parte do ano de 2016 e ditou tendências no mercado. A instabilidade do governo afetou a economia, e o que se viu foi a queda de índices importantes para o crescimento do país.

O momento atual é de redução de despesas, tanto do governo quanto nos lares das famílias brasileiras. Isso afeta o crescimento à medida que desacelera os setores de serviços e indústrias, assim como canais de crédito.

O movimento de “desinflação”, ademais, veio acontecendo de forma lenta e gradual. A taxa de juros diminuiu aos poucos, o que fez com que a economia até hoje não tenha se recuperado por completo.

As perspectivas econômicas para 2017

A expectativa é de crescimento já para o primeiro trimestre de 2017. O Ministério da Fazenda prevê até 2% de crescimento durante janeiro, fevereiro e março em relação a 2016. A taxa de desemprego deve chegar a 12,7% em março, decaindo a partir de então. 

Especialistas dizem que o pior da crise já ficou pra trás. A projeção da inflação feita pelo Banco Central recuou de 5,80% para 5,72% para 2017. A expectativa também é de que haja queda do preço do dólar em relação à moeda brasileira, girando em média dos R$3,91 ao final deste ano.

Quanto ao juros em 2017, prevê o Banco Central uma leve queda na taxa em relação ao ano anterior. A taxa Selic que alcançou quase 16% em 2016, deverá manter-se entre 10 e 12% durante todo este ano.

Crescimento mesmo na adversidade

O país possui fortes instituições que, historicamente, recuperam-se e fortalecem após períodos de retração da economia. A perspectiva final em 2017 é de que o Brasil, mesmo continuando em crise, experimente maior crescimento quando comparado ao ano de 2016.

As reformas propostas pelo atual governo visam conferir competitividade ao país e, uma vez implantadas, devem estabilizar o mercado. Seguramente, no que tange aos reajustes salarias, entretanto, devem ser encontradas algumas dificuldades. A herança da inflação de 2016 ainda é fator complicador para acordos e, assim, pode vir a permanecer durante todo o ano.

De toda forma, certo é que nos momentos de crise as pessoas devem estar atentas a oportunidades de investimentos e maneiras de se destacar. Há como crescer mesmo na adversidade, basta saber aproveitar. O Brasil vem se recuperando aos poucos e, em 2017, a crise deve abrandar e facilitar a vida de seus cidadãos.

Entendeu então quais são as perspectivas econômicas para 2017? Quais ações você pretende empreender para aproveitar todas as oportunidades desse período? Deixe seu comentário e compartilhe sua opinião!

Leia Também

Deixe seu comentário