inflação no Brasil

Todo país que tem como base econômica o capitalismo sofre com o chamado efeito inflacionário, que é a tendência do aumento ou da diminuição dos preços como efeito colateral do movimento entre a demanda e a oferta de produtos commodities do dia a dia. Medir essa inflação nos preços é uma tarefa difícil para os estatísticos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para fazer isso, uma série de produtos que são representativos da economia são pesquisados e seus valores verificados no que é chamado de cesta básica. O custo dessa cesta é comparado durante um período. O resultado disso é um índice de preços, que é o valor a mais da cesta no mercado naquele momento com o percentual do valor da cesta idêntica a do início do período analisado.

No Brasil há vários indicadores de inflação, o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) e o IPC – FIPE. Eles são necessários porque o impacto da inflação é diferente para cada indivíduo, porque a classe social e o poder aquisito vai determinar quem será menos ou mais impactado.

Como é feito o cálculo da inflação no Brasil?

Pesquisadores do IBGE levantam preços de milhares de produtos para chegar à taxa de cada mês. Eles visitam os consumidores para conhecer o que e os locais de compra, são determinados o peso de cada produto pelo consumo específico, pois um produto é mais consumido que outro, é definido também os mercados onde os preços serão analisados, a pesquisa então é realizada, o processamentos dos dados coletados é feita pelos técnicos e se for encontrado alguma discrepância considerável, pode ser necessário recoletar os dados. E por fim, o cálculo é feito e se obtém a variação do preço na comparação com os dois períodos.

Porque são chamados de impostos indiretos?

É porque sua incidência é sobre o produto e não sobre a renda de um indivíduo. Ele é indireto porque ele leva em consideração quanto à pessoa consome. Na consulta DOU (Diário Oficial da União) na internet, você tem acesso estas e outras informações.

Para conhecer mais e conferir sobre impostos leia também o artigo que preparamos sobre a conferência de impostos na nota fiscal. O Diário Oficial-e é especializado na prestação de serviços de apoio e de intermediação de publicações legais nos diários oficiais dos Estados, dos Municípios, do Distrito Federal e da União. Através desse site são atendidas todas as pessoas interessadas em publicar um Ato de interesse público de forma segura, rápida e eficaz, no Diário Oficial.

O atendimento abrange todo território nacional através da central de atendimento. Alguns serviços prestados são a intermediação entre o publicador e os diários oficiais dos Estados, dos Municípios, do Distrito Federal e da União, a consulta sobre a existência de uma possível pendência financeira que impeça a publicação junto ao Diário Oficial da União, a verificação com base na legislação específica e através de consulta ao Diário Oficial, à necessidade jurídica da sua publicação, entre outros serviços. Acesse o site e saiba mais.

Leia Também

Deixe seu comentário