Concursos públicos, posições de destaque em empresas privadas ou a contratação em um escritório renomado são opções viáveis para grande parte dos advogados. No entanto, eles não devem ignorar o fato de que o empreendedorismo na advocacia também é uma possibilidade profissional.

Do ponto de vista jurídico, um escritório não é um empreendimento. Segundo a lei 10406/2002, “considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços”.

Do ponto de vista prático, no entanto, é muito importante que o advogado que opta por empreender tenha conhecimentos básicos sobre como administrar um negócio.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e veja as dicas que preparamos para você:

Empreendedorismo na advocacia: atente-se ao básico

Plano de negócio

Esse documento será útil para que você entenda qual são as fraquezas do seu empreendedorismo na advocacia, de modo que você possa corrigi-las antes que representem um risco à sua ideia.

Além disso, esse estudo o ajudará a definir preços e controlar os gastos fixos e variáveis.

Análise de concorrência

A análise de empresas concorrentes fornece ao empreendedor uma radiografia do mercado. Com ela é possível descobrir o quanto as empresas cobram e o que elas oferecem. Desse modo, o empresário poderá reavaliar sua ideia de empreendedorismo na advocacia, caso perceba que algo semelhante já foi testado e não deu certo.

Ademais, esse estudo abre oportunidades ao advogado. Por exemplo, ele pode perceber que todos os concorrentes disputam o mesmo nicho de mercado, mas que existe uma parcela de pessoas que não encontram escritórios que possam atender suas demandas. Ou seja, existe uma oportunidade de negócio inexplorada.

Planejamento financeiro

Não basta apenas a vontade de empreender, é necessário entender os custos envolvidos. Um dos erros mais comuns entre empresários de todos os segmentos é misturar finanças pessoais e empresariais. Não se deve, de forma alguma, fazer isso, sob o risco de prejudicar sua vida financeira.

Outro ponto interessante é avaliar a necessidade de adquirir empréstimos. Evite tomar essas decisões em momentos de empolgação e euforia. Para fugir desses erros, é importante listar todas as necessidades de compra da futura empresa.

Use a tecnologia a seu favor

Se por um lado o empreendedorismo na advocacia é ignorado pelas faculdades e universidade, por outro, a internet traz muitas informações sobre o tema. Busque acabar com suas dúvidas utilizando sites e blogs especializados na temática como fonte de informação.

Outra dica é fazer bom uso das redes sociais. Participar de grupos sobre esse tema também poderá ajudá-lo a ser um advogado empreendedor muito melhor.

Além disso, sempre há a possibilidade de inovar. Os aplicativos para smartphones trouxeram soluções para problemas que só poderiam ser resolvidos de forma presencial. Por isso, se você deseja oferecer soluções criativas na área do Direito, procure somar sua ideia com a de outros profissionais de áreas distintas, como a programação.

Empreendedorismo na advocacia é algo real, mas que deve ser levado a sério no seu planejamento de carreira. Se esse assunto te interessa, não deixe de conhecer as 5 tendências de destaque na área jurídica neste ano!

Agora que você entendeu mais sobre o Empreendedorismo na Advocacia, continue navegando pelo nosso site: Diário Oficial-e! Saiba como realizar a publicação no Diário Oficial da União!

Leia Também

Deixe seu comentário