Boa parte dos escritórios de advocacia ainda se organiza em uma estrutura de empresa familiar. No entanto, com o aumento da concorrência e com o desenvolvimento dos recursos tecnológicos, a profissionalização deixou de ser algo secundário para tomar conta da gestão da advocacia.

Para quem quer ter um escritório competitivo no mercado, organizar e profissionalizar a gestão financeira na advocacia é o primeiro passo. Se você ainda não conta com boas práticas e ações para organizar a gestão financeira na advocacia, continue a leitura e veja nossas dicas para começar agora!

Separe contas particulares das contas do escritório

Muitos escritórios de advocacia ainda funcionam em um sistema de empresa familiar. Por isso, é muito comum que as contas de sócios se confundam com as contas do próprio escritório.

Para fazer uma boa gestão financeira do escritório, o primeiro passo é separar contas particulares das contas do seu negócio. Crie boas práticas, converse com os sócios e institua um modelo em que os caixas não se misturem.

Esse tipo de confusão, embora seja muito comum, é um dos principais motivos de deficit no faturamento e problemas no fluxo de caixa. Portanto, é preciso ser disciplinado e se organizar para não colocar o próprio negócio em risco.

Construa um fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma medida simples, na qual existe o registro de todas as despesas e as entradas no caixa. Essa ferramenta é a principal maneira de o advogado reconhecer quanto o escritório efetivamente possui e quais são as suas condições para investimentos futuros. Por isso, ela é fundamental para quem quer fazer uma boa gestão financeira.

É por meio do fluxo de caixa que o advogado pode mensurar o lucro e até prever eventual prejuízo em seu escritório. Sendo assim, é fundamental não abrir mão dessa ferramenta. Se você ainda não possui um fluxo de caixa do seu escritório, em uma simples planilha já pode começar. Ele é uma das formas mais eficazes de evitar surpresas e prejuízos.

Além do fluxo de caixa, algumas demonstrações contábeis também podem ajudá-lo a promover uma gestão eficiente.

Considere contratar um profissional para a gestão financeira na advocacia

Todo advogado costuma acumular uma série de funções. Reuniões com clientes, representação em audiências, elaboração de peças processuais. Essas são apenas algumas das tarefas que fazem com que o profissional tenha que se dividir para dar conta da sua rotina.

Justamente por essa característica da própria profissão, aprender a delegar é fundamental para todo advogado. Mais do que delegar a elaboração de peças simples aos estagiários, um advogado deve sempre considerar a contratação de um profissional especializado na hora de cuidar da gestão financeira do seu escritório.

Lembre-se de que um profissional capacitado pode não apenas ajudá-lo no dia a dia, como também pode possibilitar que você tome decisões mais acertadas quanto ao futuro do seu escritório.

Prepare-se para a crise

Para a maioria dos negócios, uma crise econômica e financeira pode ser um verdadeiro pesadelo para a empresa. Porém, no caso da advocacia, um cenário de crise pode multiplicar as demandas. No entanto, isso não significa algo necessariamente bom, especialmente se o seu escritório não está preparado para isso.

Existindo um aumento pequeno de demanda, considere rever o seu faturamento e o seu caixa para saber de que maneira será possível investir em crescimento. Afinal, crescer não significa apenas lucrar mais: quer dizer também investimentos com pessoal e infraestrutura, e isso não custa barato para nenhuma empresa.

Organizar-se financeiramente tanto para tempos de escassez como de abundância, é uma regra para negócios dos mais variados nichos, incluindo os escritórios de advocacia. A gestão financeira na advocacia do seu escritório é profissional? Conte suas experiências e dúvidas pra gente aqui nos comentários!

Leia Também

Deixe seu comentário